De Dubrovnik à Belgrado

De Dubrovnik à Belgrado

Um passeio que mistura religião, belas paisagens e muita história.

295
0
COMPARTILHE

Um destino alternativo que vem ganhando muitos adeptos na Europa, faz um giro pela Croácia, Sérvia e Bosnia-Herzegovina, países que se derivaram da antiga Iugoslávia, que se extinguiu em 2003. O roteiro que visitamos, indicado pela consultora de viagens da Olimpiatur, Natália Dobrotnick, durou 7 dias e passou por templos religiosos, cidades históricas que foram destruídas e reerguidas diversas vezes entre guerras e batalhas, e cenários paradisíacos que atraem multidões todos os dias como ponto de parada de navios de cruzeiro que partem de vários locais da Europa.

Dubrovnick

A cidade é uma página viva da história a céu aberto, e, não à toa, a cidade mais visitada da Croácia. Com pouco mais de 40 mil habitantes, a cidade recebe milhares e milhares de visitantes todos os dias, sendo a grande maioria passageiros dos diversos navios de cruzeiro que atracam no porto na cidade. Mas se a sua preferência é ficar em terra firme, reserve alguns tempo mais para conhecer a cidade. A “velha Dubrovnick” é considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, e é dentro de seus muros que se forma o burburinho do local com dezenas de lojas, bares, restaurantes, igrejas e museus.

Uma das grandes atrações da cidade é subir nessas muralhas e caminhar sobre elas numa volta completa – pouco mais de 2,5km, vendo de cima o Mar Adriático, as ruas e casas de pedras, passando por torres e fortes.

Outra visita importante é o Mosteiro e Museu Franciscano, uma das mais belas construções da cidade, datada do Século XIV. E ao lado fica uma das mais antigas farmácias da Europa ainda em funcionamento, que começou sua operação em 1300.

Dubrovnik conta ainda com uma série de outros museus, com exposições com temas que vão desde a arqueologia até os tempos da guerra.

Se o seu tempo permitir, vá até a Ilha Lokrum, um parque nacional a cerca de 20 minutos de Dubrovnick. Lokrum tem algumas ruínas, oliveiras, muitos pavões, um jardim botânico e praias bonitas, apesar de serem praticamente no meio das rochas.

Mostar

A cidade não fica exatamente na Croácia, mas sim na vizinha Bósnia e Herzegovina, e foi um importante centro comercial e de transportes durante o Império Romano, no Século XVI. Hoje, as mesmas ruas de pedra ficam repletas de turistas de todo mundo curtindo as lojinhas, bares e restaurantes e fotografando as paisagens espetaculares.
o Símbolo da cidade é um arco de pedra, que substituiu a antiga ponte pênsil, e que se tornou também Patrimonio da UNESCO. Separe alguns trocados para arrancar sorrisos dos garotos locais que pulam no gelado rio Neretva – 24 metros abaixo. Se você tiver coragem, por 25 euros o Mostar Diving Club irá treiná-lo e você pode realizar o salto.

Outro lugar bastante visitado em Mostar é a Mesquita Koski Mehmed Pasa, basta cruzar a ponte e seguir pelas ruelas da cidade. Lá em cima tem um mirante com a vista da cidade medieval.

Igreja de Saint James em Medjugorje na Bosnia Herzegovina.

Medjugorje

Ainda na Bósnia, o Snatuário Medjugorje é único, e os visitantes afirmam que ali Nossa Senhora está presente mesmo, tamanha a energia que movimenta o lugar. Mais de 400mil pessoas visitam o lugar a cada ano, mesmo não sendo um destino comum para a Europa. Apesar da população local ser bem dividida entre católicos e muçulmanos, a cidade gira em torno das peregrinações para as colinas onde aconteceram as aparições, a Apparition Hill.
Se tiver disposto a encarar 550 metros de subida, vá à Montanha Krizevac, são cerca de 2 horas de subida árdua para encontrar as 15 estações da cruz.

Ainda no roteiro de fé da cidade, visite a Medjugorje Notre Dame, com aparência moderna, paredes lisas e Vitrais, o monumento parecia desproporcional em 1969, quando foi construído, mas hoje os peregrinos lotam a rua para rezar na missa.

Sarajevo

A maioria das atrações de Sarajevo se concentram na Cidade Antiga, mais precisamente no quarteirão Bascarsija, e é possível visitar tudo caminhando. Chegando a cidade procure uma das excursões gratuitas em inglês que são oferecidas pelos guias locais, com cerca de 2 horas, passam pelos principais locais e suas histórias de mais de 500 anos sob influência de várias religiões. Em Bascarsija mesmo estão os inúmeros cafés, restaurantes e lojas da cidade, em construções preservadas que dão um toque oriental ao local.

De uma passada na famosa fonte de Sarajevo, a Sebilij, e imagine que a água doce de Sarajevo já fez com que a cidade tivesse centenas de fontes espalhadas pelo local – hoje restam ainda algumas dezenas.

A ponte Latina é o local onde o arquiduque Franz Ferdinand foi assassinado em 1914 e que é considerado o estopim à I Guerra Mundial. Hoje a ponte liga a Cidade Antiga ao bairro Skenderija.

Um túnel que era usado como caminho clandestino para escapar do cerco dos sérvios durante a Guerra é hoje um museu militar, e vale a visita para entender um pouco da história.
Outros pontos para se visitar:

– A igreja da Natividade de Theotokos

– A sinagoga Ashkenazi

– A fortaleza Amarela

– A cascata Skakavac

– Lukomir, o vilarejo Bósnio.

Belgrado

Belgrado é a capital e maior cidade da Sérvia e fica no encontro dos gigantes Rios Danúbio e Sava. Hoje a cidade respira cultura, história, parques e possui uma vida noturna bastante agitada.

A cidade está bem atualizada digitalmente, e uma dica é baixar o aplicativo Belgrade Talking – com ele basta você apontar o celular (mesmo em modo Off line) para alguma construção ou obra e o app conta toda a história do local.

Comece o passeio pela famosa Rua Knez Mihailova, com seus vários bares, restaurantes e lojinhas que garantem movimento a qualquer hora do dia ou da noite. Ali também ficam o Museu Nacional, o Teatro Nacional e o monumento a Prince Mihailo.

Uma caminhada às margens do Rio Danubio também te levam à cafés, pubs e até hostels que funcionam dentro de barcos. Se quiser pode-se também fazer o trajeto de bicicleta (há para alugar em vários pontos).

A “praia” dos moradores de Belgrado fica na Ilha Ada Ciganlija, e se você tiver tempo faça uma visita por lá, pois vai vivenciar muitas áreas para pratica de esportes e alguns points bem bacanas frequentados pelos locais.

Visite também Kalemegdan, onde fica o Forte de Belgrado, o lugar é enorme, com mais de 20 hectares e é um verdadeiro museu a céu aberto, com vista para os 2 rios que cortam a cidade. Palco de inúmeras batalhas, o lugar foi destruído e erguido várias vezes durante seus mais de 2 mil anos.

A cidade mostra toda sua história misturada aos tempos atuais com os inúmeros grafites espalhados pela cidade, em muros e até mesmo no transporte público local.

A noite passeie calmamente pela Rua Skadarlija, com apenas 500 metros respira arte. O espaço foi revitalizado em 1968 e é conhecida como  Montmartre Sérvio, devido ao seupotencial artístico e seu estilo romântico e boêmio.

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

*