Encontro de Moda e Arquitetura

Encontro de Moda e Arquitetura

Arquitetas Joana B. Lunelli e Juliana J. Daniel, da JJD Arquitetura de Jaraguá do Sul, se inspiram em coleção de moda para criar espaço na última CASACOR Balneário Camboriú

295
0
COMPARTILHE

Um projeto executado pelas arquitetas Joana B. Lunelli e Juliana Daniel, da JJD Arquitetura, de Jaraguá do Sul e pelo paisagista Cláudio Saladini, provam que moda e arquitetura podem andar juntas.  Com um espaço de 140 metros quadrados expostos na última edição da mostra CASACOR Balneário Camboriú, o Loft Hanami teve como inspiração a mais recente coleção de inverno da grife Lez a Lez, toda pensada para representar a cultura japonesa do Hanami, “a arte de contemplar as flores”.

“A cultura oriental vem se destacando tanto na moda como na arquitetura, o que permitiu que desenvolvêssemos itens em parceria com a marca. Foram desenvolvidos quadros, souplats, almofadas e painel de parede. O público aprovou! As pessoas gostaram de ver a moda inserida na arquitetura”, afirma Juliana.

Inspiração e conforto

Todo pensando para ser um ambiente aconchegante e agradável, abraçado por uma vegetação exuberante, com espaços projetados para o bem-viver, o Loft inspira interação e privacidade, de acordo com as necessidades e preferências do usuário.

Entre os vários destaques do projeto, há uma arte impressa em tamanho gigante feita em parceria com a Lez a Lez que faz referência à coleção Hanami. Painéis melamínicos revestem a sala da parede ao teto, que recebe também um elemento marcante de mármore italiano. No banheiro, no andar de cima, a cuba esculpida lembra o formato de um diamante.  “Valorizamos nossos designers e criadores nacionais e colocamos no ambiente a poltrona Shield, de Guilherme Wentz, e as cadeiras Bossa e bancos Phillips, de Jader Almeida”, determina Joana.

Já o sistema construtivo em EPS junto com as esquadrias de PVC contribuiu para o conforto térmico e acústico do ambiente. A automação ajuda a equilibrar o uso da iluminação artificial com a natural, diminuindo o consumo de energia. As persianas controlam o calor e a luminosidade no espaço.

A arquiteta ainda explica que a proposta teve como objetivo se diferenciar do conceito tradicional dos lofts. “Esses ambientes normalmente possuem um estilo industrial, com sua estrutura e tubulações aparentes, o que o torna masculino e despojado. Optamos em deixá-lo mais feminino, delicado, com acabamentos refinados, proporcionando leveza e elegância”, diz.

“Buscamos a sustentabilidade nos nossos projetos, e no Loft Hanami utilizamos a compatibilização de sistema construtivo monoforte, estrutura metálica e container, que proporcionam montagem e desmontagem em qualquer outro lugar, além de suprimir o uso de lajes e paredes e facilitar a limpeza. A estrutura metálica agiliza a obra e permite seu reaproveitamento”, detalha Juliana.

Desafio e ousadia

A dupla de arquitetas afirma que desenvolver um projeto arquitetônico e de interiores que pudesse ser construído e decorado em apenas 45 dias – o período que tiveram entre a inscrição e o início da mostra não foi tarefa fácil, mas que o auxílio da equipe fez a diferença. “Nosso time de obras juntamente com as técnicas construtivas utilizadas tornou isso possível. Sustentabilidade, estética e funcionalidade. Queríamos fazer um projeto que agregasse ao máximo as características do escritório, para que desta forma pudéssemos divulgar, através do nosso trabalho, quem somos!”, garante Joana.

Para Juliana, ter a possibilidade de criar um conceito tão diferenciado para uma mostra de relevância nacional foi uma chance de levar os conceitos da arquitetura bioclimática e de sustentabilidade, propondo projetos mais conscientes, confortáveis, aliados à estética e funcionalidade. “Vimos a CasaCor BC como uma excelente oportunidade de mostrar nosso trabalho em outras regiões do estado, visto que estamos com projetos diferenciados, principalmente no que diz respeito à sustentabilidade, tendo ainda o apoio de um mercado imobiliário crescente e um público exigente, que gosta de novidades e preocupa-se com seu bem estar”, revela.

Todo o trabalho foi bem recompensado, já que o projeto foi contemplado com o prêmio de ambiente mais ousado da mostra.  “Entendemos o prêmio como um reflexo da nossa proposta ´ousada´ de construir o loft em 45 dias, com soluções sustentáveis, e decorá-lo, com um projeto de interiores inspirado na moda”, conclui Joana.

Perfil

A JJD Arquitetura atua no mercado de projetos arquitetônicos com obras residenciais, comerciais e industriais. À frente da equipe estão as arquitetas e urbanistas Juliana J. Daniel, Joana B. Lunelli. O escritório ainda conta com um time experiente composto por engenheiros, arquitetos e designers de interiores.

 

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

*