Glamour Cinematográfico

Glamour Cinematográfico

O charme da Riviera Francesa para um roteiro de cinema.

282
0
COMPARTILHE

Não é à toa que a Côte d’Azur (Costa Azul), como também é chamada a Riviera Francesa, é conhecida por ser uma região cinematográfica. Entre os diversos filmes rodados no local, o mais célebre foi o clássico “Ladrão de Casaca”, de Alfred Hitchcock. O filme tem cenas gravadas em Nice, Cannes e Mônaco, entre outras locações.

Além de ser lembrada pelos filmes, a região é referência de luxo e glamour na Europa. Por ser banhada pelo mar mediterrâneo e rodeada por montanhas como os Alpes, é uma das mais cobiçadas pelas celebridades no verão e vai de Toulon a Menton, na fronteira com a Itália.

Dentre as várias cidadezinhas, as mais conhecidas são Nice, Mônaco, Monte Carlo, Cannes e Saint Tropez, todas muito próximas umas das outras e lugares que dão as boas-vindas aos amantes da “art de vivre”, da gastronomia, das compras, dos cassinos, dos esportes, da cultura e da natureza.

Viajando a negócios, a dois ou com a família, o ano todo e é possível descobrir este lugar mágico. Confira!

Clima de verão

No verão, a Riviera Francesa atinge o seu esplendor: altas temperaturas, muitas horas de sol e todo o movimento que faz o destino ter a fama que tem. Os meses de junho e julho são os que oferecem mais horas de sol, já agosto é o mês mais quente. No extremo oposto, setembro, outubro e novembro são os meses mais chuvosos e, por fim, dezembro, janeiro e fevereiro os meses mais frios.

Na Côte como um todo, um costume muito comum é o esquema de “praias privadas” (como a Castel Plage ou a Hi Beach, em Nice, por exemplo) onde você paga uma valor fixo para frequentar e tem direito a espreguiçadeiras, guarda sol, restaurante, garçons e  champagne.

O que vale conferir

Cassis: Uma das cidades mais interessantes da região, com seus lindos edifícios antigos e belas praias, é ideal para conhecer os calanques, uma formação geológica onde o mar adentra ao território formando vales pedregosos.

Toulon: Os passeios na cidade começam pelos centros históricos, com parada no mercado de rua da Cours Lafayette e monumentos como a Igreja de Saint Louis e a Fonte dos Três Golfinhos. Já o Museu Nacional de Navegação, aberto em 1981, é o grande destaque turístico. No local, chamado de Arsenal, estão diversos modelos de navios militares.

Saint Tropez: Na cidade que ficou famosa após o filme “Et Dieu… Créa La Femme”  (E Deus Criou a Mulher, em português) com a musa Brigitte Bardot ser rodado, em 1956, vale a pena passar uma ou duas noites para percorrer suas ruelas com calma, aproveitar o final de tarde no porto, bebericar um bom drink e a noite descer em um dos sótãos das construções antigas para as baladinhas locais, como as festas concorridas dos clubes de praia de Pampaleonne.

Antibes: Na cidade, que foi lar do artista Pablo Picasso, está o Museu Picasso. No acervo, é possível conferir mais de 300 peças do pintor, muitas delas inspiradas na própria Antibes. A Cap D’Antibes, península lendária que “separa” Antibes de Juan les Pins e desde o século 19 atrai aristocratas, artistas e celebridades em geral, é conhecida por ter sido lar de figuras como o pintor francês Claude Monet, o duque e a duquesa de Windsor, o magnata grego Stavros Niarchos, Ernest Hemingway e F. Scott Fitzgerald, entre muitos outros.

Éze e Grasse: As duas cidades são famosas pela fabricação de perfumes franceses. Se você é apreciador desse item de luxo e quer conhecer mais sobre a história dele, seu destino é Grasse, no Museu Internacional do Perfume. Em Éze, a pequena cidade de becos, você se encanta pela construção, toda fundada no alto de uma montanha com vista para o Mar Mediterrâneo.

Menton: Na fronteira com a Itália, a cidade aparenta ser mais italiana que francesa. Com clima ameno, é florida e arborizada, tendo como um dos atrativos principais o Jardim Botânico. Em fevereiro, realiza o Festival do Limão, onde são expostas esculturas de limão e outras invenções com a fruta.

Nice: O carnaval da cidade é um dos mais prestigiados da região. Um passeio pela Promenadedes Anglais também é imperdível, mas para conferir a cidade do alto, vá ao Parc de La Colline Du Chateau. Não deixe também de caminhar pelas ruas de Vieilleville, onde é possível notar de perto a mistura da França com a Itália. Uma outra boa pedida é a visita as museus de Lasar Chagall e Matisse, que possuem um bom acervo de obras destes dois renomados artistas da cidade.

Villefranche: Chegar a Villefranche é fácil, pois fica a poucos minutos de Nice de trem ou de carro, mas é possível também alugar uma lancha para percorrer os cantinhos escondidos das baías e de quebra conhecer as praias exclusivas de Cap Ferrat.  Depois do passeio de barco ou em um final de tarde, vá a um dos barzinhos do porto para um belo fim de tarde. Esta vila, que pertencia a Itália antes da Primeira Guerra Mundial, tem ruelas e prédios coloridos com roupas penduradas nas janelas, que lembram de fato uma das vilas à beira-mar da costa italiana.

Saint Jean Du Cap Ferrat: Para visitar museus, ruínas e a praia. A cidade ainda oferece opções de hotéis e restaurantes de luxo. O Grand Hôtel Du Cap Ferrat é famoso por seus jardins e vista do mediterrâneo.

Cannes: Como não poderia deixar de ser, o Festival de Cinema de Cannes, que acontece em maio, é uma das atrações mais imperdíveis da cidade. Vale conhecer a cidade antiga, o porto e o Palácio dos Festivais, além do porto de onde zarpam passeios de barco para ilhas mediterrâneas e uma seleção respeitável de hotéis, restaurantes e lojas de grife na Croisette, avenida que margeia boa parte da costa da cidade. Não deixe de ir às praias de Plage de La Bocca ou à Plage Du Midi, lindas e concorridíssimas!

Cannes, France — Vieux Port and old quarter of Le Suquet, Cannes — Image by © Michele Falzone/JAI/Corbis

Mônaco: Circular de carro pelas ruas de Mônaco dá a impressão que se está numa corrida de Fórmula 1. Se você costuma assistir às competições, vai sentir que tudo parece muito familiar. Outro lugar que dá a sensação de “dèja vu” é o Casino de Montecarlo, onde foi gravado o filme “007 contra GoldenEye”, com Pierce Brosnan, em 1995.  No País-Principado, o roteiro com o Palais du Prince, a Vieux Monaco e a Saint Nicholas Cathedral, onde se casaram a Princesa Grace (Kelly) e o Príncipe Rainier – e estão seus restos mortais, é obrigatório.

Vence e St. Paul de Vence: Duas cidades com construções medievais em pedra, que abrigaram muitos dos pintores famosos que viveram na Provence e são ótimas opções de passeio durante o ano inteiro, com clima de montanha e um friozinho bem romântico. Tire um dia para subir as encostas e visitá-las. Não deixe de ir na “master piece” de Matisse, a capela do Rosário que ele projetou para as freiras em Vence. Dependendo do dia, há feiras de produtos provençais e bons lugares para um almoço ou café nos restaurantes de alta qualidade.

Como Chegar

Há dois aeroportos principais para chegar à região – nas cidades de Marselha e Nice. A Riviera também é bem servida de trens, caso você escolha ir em um vôo direto do Brasil para Milão e de lá pegar um trem para um dos destinos escolhidos.

De Nice, a principal cidade da Côte D’azur, é possível pegar o trem que percorre a costa e custa 3,00 euros por ticket, para ir a Cannes, Saint Rafael, Villefranche, Mônaco e fazer um roteiro completo da Riviera.

светодиодные светильники

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

*