O galo de Joinville

O galo de Joinville

501
0
COMPARTILHE

Por Guilherme Gassenferth  Fotos Divulgação

 

cronica01

Há pessoas que crêem que o nome já diz algo sobre o destino da pessoa. No caso do barítono joinvilense Douglas Hahn, nada poderia estar mais próximo da verdade: seu sobrenome significa “galo”, no idioma alemão. Douglas, nosso galo, nasceu para cantar.
O talentoso joinvilense começou sua vida artística na Escola de Música Villa-Lobos, na Casa da Cultura. Após um tempo, foi aperfeiçoar seus estudos em Curitiba, com Rio Novello e Neyde Thomas. Seu repertório conta com mais de 20 óperas, cantadas em italiano, alemão e francês. Já se apresentou na Europa e na América do Sul, com destaque para o renomadíssimo Teatro Colón, em Buenos Aires, onde foi o único representante de Joinville ao longo da história.
Após anos cantando em São Paulo e no Rio Grande do Sul, Douglas está de volta à sua terra natal, onde pretende se estabelecer. Em junho, ele acompanhou a Orquestra Cidade de Joinville, cantando Toreador Song, uma ária da ópera Carmen, de Georges Bizet. Na mesma Sociedade Harmonia Lyra, que vem sendo um dos palcos do renascimento cultural que vive Joinville, também abriu o projeto Interlúdio, uma nova opção de música de câmara erudita, em promoção daquela sociedade. Prevê, ainda, ministrar cursos de canto lírico e aproximar as escolas da ópera – projetos em que buscará apoio do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura, patrocinado pela Fundação Cultural de Joinville.
Douglas mostra uma face da história de amor que vive com a ópera e com a cidade ao buscar transmitir um pouco de sua técnica às crianças e aos futuros alunos de seus cursos. Tal atitude de nobreza poderá contribuir para cumprir um papel que é de toda a sociedade: encontrar talentos e, principalmente, proporcionar-lhes um campo fértil para que floresçam e permaneçam na arte.
Por meio da Escola de Música Villa-Lobos, das oficinas da Orquestra Cidade de Joinville e do Programa de Extensão da Casa da Cultura nos bairros, só para ater-se em três exemplos, a Fundação Cultural de Joinville dá a chance a milhares de crianças, jovens e adultos para trabalharem seus talentos. Esta atuação é de vital importância: quantos pequenos cantores e cantoras líricas a cidade perderia se não tivesse iniciativas públicas de ensino da música e de artes em geral?
Sem dúvida, é possível melhorar, ampliando o número de iniciativas, sua extensão e sua qualidade, para que não sobre um talento sequer que não tenha a chance de vir à luz e encantar o mundo. Assim como nosso genial galo Douglas, que demarca território em Joinville pelo seu canto, esperamos descobrir novos galos, crianças talentosas que exibirão seus talentos, para o encantamento e desenvolvimento cultural de toda a cidade.kvs.gov.uaдобавить сайт в каталоги автоматическиcrm агентствоcrm системыанализ сайта по поисковым запросамподбор ключевиковсамый большой выбор ноутбуковбаза поднасосного оборудования

COMPARTILHE
Artigo anteriorFritz & frida
Próximo artigoDesign com sabor

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

*