Dançar juntinho, faz bem pra você, faz bem pro bebê!

Dançar juntinho, faz bem pra você, faz bem pro bebê!

Fotografia: Fernanda Greppe Photography Modelo: Sara Steyer e seus filhos Davi e Luan. Sara é professora de Sling Dance e consultora em Babywearing.

313
0
COMPARTILHE

Falar de dança na época de festival de Dança de Joinville fica até repetitivo, né? Mas você já pensou em dançar com o seu bebê? E mais, que esse momento delicioso pode ser uma atividade física com inúmeros benefícios para você e também para ele?
Pois é, estou falando da dança com sling, o Sling Dance!
Para quem ainda não sabe, o sling nada mais é que um “tecidão” de uns 5 metros mais ou menos, que serve para enrolar o bebê no corpo da mãe. O comprimento do tecido pode variar dependendo do tamanho da mãe, se ela é mais miudinha ou mais grandinha. O modelo também pode variar, alguns têm argola, outros só tecido.


O tecido que hoje é o queridinho das mães, de novo não tem nada, ele é milenar. Povos indígenas, africanos, andinos, asiáticos… todos usavam sling.
Antigamente, “slingar” não tinha outro enfoque que não permitir que a mulher pudesse trabalhar. Por não ter com quem deixar o bebê, ele era levado ali grudadinho nela. Viu? Esse pano tem história.
Os tecidos utilizados na confecção do sling são muitos e as amarrações são as mais variadas. Existem ainda pessoas especializadas em baby wearing (amarração e carregamento de bebês) que orientam a mãe na hora de colocar o bebê no pano, para que ele fique de forma ergonômica e confortável.
O método do bem carregar, na verdade, é muitíssimo inteligente e traz praticidade, afinal o bebê fica ali agarradinho na mãe ou no pai, sentido o cheirinho e o bater do coração de quem o carrega, enquanto isso, o adulto tem autonomia (mãos livres) para executar tarefas de casa, do trabalho, fazer uma caminhada ou mesmo compras no supermercado.
Há algum tempo o tecido passou a ser associado à uma atividade física. Com curto tempo de licença-maternidade, as mulheres modernas apostam em mais um jeitinho para passar um tempo de qualidade com seus filhos. Uma aula de dança que reúne ritmos, alguns mais lentos e tocantes, outros agitados e animados adaptados para que mulheres possam carregar seus bebês e dançar.


Os benefícios da aula vão muito além daqueles comuns à atividade física que você conhece, é muito mais que uma atividade aeróbica.
Para a mãe os benefícios são:
• Retorno à vida social
• Reeducação postural
• Praticidade das mãos livres
• Locomoção facilitada
• Aumento da consciência corporal
• Controle do peso
• Aumento da autoestima
• Fortalecimento do vínculo mãe e filho

Benefícios para o bebê:
• Sensação de aconchego e proteção
• Reduz a incidência de cólicas
• Melhora do sono
• Relaxamento e menos choro

É importante lembrar que não precisa ser dançarina para fazer Sling Dance, basta ter vontade genuína de mexer o corpinho e pronto, você tá dentro!
O balanço do seu corpo vai fazer com que o bebê relaxe e provavelmente caia num sono bom durante a aula mesmo. Você além de se relacionar com outras mulheres que estão vivendo o mesmo período de vida, vai sair da aula com aquele sentimento de dever cumprido, por ter gastado calorias e se divertido um bocado.

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA