Tendências – Um jeito diferente de ensinar e aprender

Tendências – Um jeito diferente de ensinar e aprender

377
0
COMPARTILHE

Basta abrir a janela, espiar lá fora e um mundo de oportunidades se abre todos os dias! Resta saber qual delas aproveitar, qual o impacto da tecnologia sobre as escolha e com que velocidade se precisa estar preparado para as transformações que ocorrem no campo profissional.

E como dar conta? Quem tem habilidades diferenciadas e objetivos específicos busca escola com método de ensino inovador, que alie o ensino teórico com as práticas do mercado para dar suporte no processo de lapidação do conhecimento. E na medida certa!

É para atender esse público que o Centro Europeu mantém cursos de profissões com duração de 12 meses. São áreas de forte apelo criativo – design de moda, design de interiores, fotografia e jardinagem – e que têm constante demanda no mercado de trabalho. 

Em sala de aula, a palavra de ordem é vivência. Professores (ou orientadores) estabelecem processos de trocas de experiências. O propósito é aguçar a curiosidade, favorecer a desenvoltura comportamental e atingir o máximo do conhecimento plural.

 

UMA VITRINE PARA A MODA

Quem gosta de criar roupas, bijuterias, calçados e acessórios, ou já trabalha no segmento da moda e quer fazer um up grade no currículo, tem no curso de design um caminho natural.

A coordenadora do curso de design de moda do Centro Europeu, Byanca Bell, observa que o mercado da moda e toda a gama de atividades relacionada ao vestuário, não conhece a palavra crise. Além disso, o profissional encontra um leque de oportunidades no campo profissional.

Uma das vertentes foi mostrada durante a Semana Casa Aberta realizada pelo Centro Europeu de 19 a 23 de fevereiro. O curso organizou um workshop sobre vitrinismo, um módulo que tem o propósito de enriquecer o currículo do profissional de moda, repassando orientações que vão ajudar a fazer a melhor escolha de acordo com cada habilidade.  

E olha que não falta bom argumento. “A vitrine é o caminho para até 70% das vendas”, ressaltou Ana Vieira, que falou no evento. “O objetivo dela é valorizar o produto e a marca”.

 

BEM-ESTAR EM PRIMEIRO LUGAR

Um ambiente harmonioso, aconchegante e elegante é tudo e bom! Proporciona bem-estar e vontade de ficar ali. Elaborar locais com esse apelo faz parte das atribuições do designer de interiores, um dos cursos de profissões oferecidos pelo Centro Europeu Joinville.

Segundo a coordenadora, Susane Raiter, o design de Interiores é uma das profissões mais valorizadas pelo mercado de trabalho e uma das molas propulsoras é a expansão e valorização imobiliária. “O designer de interiores é um profissional multidisciplinar e dinâmico, atento às tendências e comprometido em agregar beleza, conforto e funcionalidade ao cotidiano das pessoas”, reforça.

No mercado de trabalho, esse profissional encontra oportunidades em empresas especializadas no segmento de design de interiores, lojas de móveis, decoração, empresas de materiais e revestimentos, de eventos entre outros.

 

A ARTE DA LUZ E SOMBRA

Foto: Arthur Andrade

”A pintura está morta a partir de hoje.” Em 1839 Paul Delaroche resumiu assim o impacto que causou daguerreótipo quando foi apresentado na Academia Francesa de Ciências. O processo, descoberto dois anos antes por Luis Jacques Mandé Daguerre havia capturado a imagem pessoas.

O tempo mostrou que não foi bem assim que a história se desenrolou. Mas, que a fotografia se tornou o meio mais perfeito para gravar e reproduzir manifestações culturais e que foi a responsável pelo surgimento do cinema e da televisão, já sabemos. Que ela estreita laços familiares e de amizade em torno do registro de todos os momentos, também.

Mas, como transformar a arte em uma profissão? Foi para responder a esta e outras tantas questões que o Centro Europeu ofereceu um workshop de fotografia na Semana Casa Aberta, uma oportunidade de interação com o fotógrafo Arthur Andrade, da Ion Photo Design.

Durante o curso de fotografia do Centro Europeu, iniciantes ou não, os alunos são preparados para iniciar no mercado aprendendo a conciliar a arte e a técnica e a vencer os desafios da tecnologia.

SE COMUNICAR É PRECISO

A distância entre países e culturas diminui cada vez mais por conta da globalização. E não ter barreiras de linguagem é uma chance a mais de sobrevivência mercadológica para aqueles que desejam atuar no cenário global.
Desenvolver habilidades de comunicação é a proposta dos cursos de idiomas do Centro Europeu. “O processo não é fácil. O aluno não pode penar que é”, diz a coordenadora Rosana Ritzmann. “Para ter êxito, o aluno precisa assumir o compromisso com o aprendizado de um idioma.”

Sob a batuta de Rosana, os professores do Centro Europeu utilizam a técnica SMART para elencar as metas de cada aluno. Elas precisam ter uma especificidade, ser mensurável, alcançável, relevante e ter um tempo certo para atingir.  “Centro Europeu oferece o que se precisa. E que o aluno vai fazer para dar conta”, ela sempre pergunta.

E você, está pronto para o desafio?

 

 

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA